Agente Autônomo de Investimento — Como Conseguir uma Boa Carteira de Clientes?

A carteira de clientes de um agente autônomo de investimento afeta diretamente a sua remuneração. Por isso, meu nobre gafanhoto, é importante entender quais são os pontos principais que merecem sua atenção na hora de montar uma!

Afinal, qual a relação entre os seus clientes, os investimentos deles e a sua remuneração? Saber isso ajudará muito na hora de selecionar os investidores que estarão sob seus cuidados.

Uma boa carteira de clientes não é construída de uma hora para a outra. Você precisa ter calma, entender as intenções de cada perfil de investidor e, então, avaliar quais são as melhores opções para você.

Confira algumas dicas abaixo!

Uma boa carteira de clientes não é aquela com mais investimentos

A quantidade de investidores é um ponto que influencia na hora de montar uma carteira de clientes, claro. Porém, nem sempre é o que determina a qualidade dela, principalmente se falarmos em remuneração.

“Mas, Tiago, com mais clientes eu não ganho mais dinheiro?”

Sim, nobre gafanhoto, mas o quanto você vai ganhar depende mais dos investimentos feitos do que do número de clientes.

Isso porque um agente autônomo de investimentos recebe de maneira diferente quando seus investidores aplicam em renda fixa, fundos de investimento ou renda variável.

Um exemplo: se o seu cliente aplicou uma quantia alta em um título de renda fixa, você vai ganhar um bom dinheiro no momento do aporte apenas. Ou seja, pode ficar três, cinco ou até dez anos sem receber nada daquele cliente.

No caso dos fundos de investimento, já é diferente, pois você recebe uma comissão, conhecida no mercado como rebate de fundo, O rebate do fundo nada mais é do que um percentual da taxa de de administração. Nesse caso, você terá uma remuneração mensal, isso, é claro, enquanto seu cliente estiver com recursos aplicados neste fundo.

Portanto, não adianta ter 200 clientes que só investem em títulos de renda fixa em longo prazo e não ter nenhum de fundos de investimento ou renda variável para equilibrar o seu “salário”, entendeu?

Prospecte diferentes perfis de investidores

Quanto maior for o investimento, mais ele trará retorno para você. Isso é fato. Porém, vale também lembrar que se houver grandes perdas, elas vão afetar diretamente a sua remuneração. Aqui é simples entender, se seu cliente perde dinheiro, ele terá menos recursos, com menos recursos, menos investimento e, claro, menos você ganha!

Por isso é importante, na hora de compor uma boa carteira de clientes, buscar investidores que tenham perfis diferentes entre conservadores, moderados e agressivos:

  • os agressivos podem trazer grandes ganhos, mas também um risco maior de perder dinheiro. A vantagem é que normalmente os investimentos são em produtos que oferecem remuneração melhor para o agente;
  • os conservadores tendem a buscar opções mais seguras e investir mais baixo no início. Isso quer dizer que há muita possibilidade dos aportes serem pequenos e em títulos de renda fixa, que não te remuneram regularmente;
  • clientes de perfil moderado podem ser boas prospecções para sugerir um avanço para produtos mais arriscados, que oferecem chances boas para ambos os lados, tanto o cliente quanto o assessor. Entretanto, por serem mais abertos podem diversificar seus investimentos com mais flexibilidade.

Gostou das dicas para construir uma boa carteira de clientes como um agente de investimentos? Confira mais artigos sobre o tema no blog da T2 Educação e aproveite para ver o nosso curso preparatório para a Ancord!

0

Compartilhar este post:

Deixe o seu comentário!