Agente Autônomo de Investimentos — 3 Dicas Para Quem Está Começando

Agente autônomo de investimentos é uma carreira muito comentada hoje em dia, principalmente agora que as assessorias estão ficando cada vez mais conhecidas.

É tentador, realmente. Ainda mais quando você vê que os ganhos anuais podem chegar a seis dígitos!

Gostou da ideia, né?

via GIPHY

Mas se você quer seguir essa carreira, nobre gafanhoto, ou até se você já começou a trabalhar, você precisa saber de alguns detalhes!

Começando a vida de agente autônomo de investimentos

Eu já falei muito sobre trabalhar em banco por aqui, certo? Bem, no caso de um agente autônomo de investimentos, o processo é um pouco diferente.

Para começar, você precisa passar na prova de certificação da Ancord para testar seus conhecimentos. Sem isso você simplesmente não pode ser um agente!

Depois, você deve se registrar na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e fazer um contrato com uma corretora ou entrar em uma empresa de agentes autônomos, como uma assessoria. Mas ela deve estar registrada na CVM, ok?

Sabendo disso, vamos às dicas para quem quer ter sucesso como agente!

1. Entenda sobre vendas

Quem tem experiência na área de vendas com certeza vai ter mais facilidade para lidar com o trabalho de agente autônomo.

Isso porque, de maneira geral, a ideia aqui é você vender as melhores opções de investimentos para seus clientes, certo?

Então, se você quiser ser um agente autônomo de investimentos de sucesso, é uma boa ideia buscar algumas dicas e cursos sobre vendas, e nem precisa ser relacionada ao mercado financeiro, ok? O varejo e o segmento imobiliário são ótimos exemplos.

2. Entenda os custos

Trabalhar como agente autônomo não significa ganhar milhões e nadar no dinheiro em pouco tempo. Na verdade, você também precisa pagar para trabalhar.

Como assim?

Pois é. Um agente precisa pagar uma taxa trimestral para a CVM, que varia de acordo com como ele trabalha. Se você escolheu ser seu próprio chefe (olha que responsa, hein?), precisa desembolsar R$ 1.269,25 a cada três meses.

Acha caro? Caso você possa se juntar a um escritório ou assessoria, você será reconhecido como pessoa jurídica e pode pagar a metade disso, que é aproximadamente R$ 634,63.

3. Esteja sempre atualizado

O mercado financeiro é tão instável quanto aquele leite que você deixa no fogo. Em um piscar de olhos tudo pode explodir!

Você precisa estar sempre a par das novas práticas e também das regras e legislação envolvidas no mercado, e existem muitos livros que podem ajudar!. Um agente autônomo de investimento não pode, nunca, correr o risco de pecar pela falta de conhecimento.

Ou seja: oferecer um investimento que não dê o lucro esperado para um cliente por causa das flutuações do mercado é ok. Por falta de leitura ou informação, não!

Porém, é importante, também, sair da zona de conforto e correr riscos na hora das decisões. Produtos de renda variável, por exemplo, podem oferecer um certo “fator de emoção” na hora de investir, mas se tudo dá certo, tem chance de render muito.

E lembre-se: quanto mais dinheiro o seu cliente ganhar, mais você ganha!

Gostou das dicas? Confira mais informações sobre o mercado no blog da T2 Educação!

0

Compartilhar este post:

Deixe o seu comentário!