Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Banco Digital x Tradicional — Saiba Quais São as Diferenças Para os Profissionais

Aos poucos, os avanços tecnológicos vão fazendo cada vez mais parte das nossas vidas e, inclusive, mudando algumas formas tradicionais de realizar as ações do dia a dia. É nesse cenário que surge o banco digital, formado por uma série de empresas que trazem soluções modernas em relação às instituições convencionais. Mas, afinal, o quão diferentes são essas agências virtuais? Como elas funcionam? Será que existe alguma vantagem? Eu vou explicar tudo isso aqui nesse post!

O que é um banco digital?

O banco digital, como o próprio nome já sugere, é uma inovação tecnológica pensada para facilitar o dia a dia dos cidadãos. Por meio de ações chamadas de internet banking, cada pessoa poderá ter na palma de suas mãos todas as suas informações bancárias, além da possibilidade de resolver diversos problemas diretamente pelo celular, sem a necessidade de comparecer pessoalmente em uma agência. Essas inovações partiram de uma demanda da própria população: com a correria do dia a dia e com o aumento da inclusão digital, a preferência por soluções que não envolvam o deslocamento físico ou mesmo o contato com as pessoas se torna ainda maior. Inclusive, essa também é uma vantagem para a instituição financeira: não há a necessidade de criar inúmeras agências e contratar vários funcionários para fazer o atendimento presencial.

Como fazer o cadastro em um banco digital?

E aí você pode estar se perguntando: “Mas Tiago, se o banco não possui unidades físicas, como é possível abrir uma conta?”. Bom, existe um processo que é praticamente padrão para a maioria dessas instituições financeiras digitais. Então funciona da seguinte forma: em primeiro lugar, a pessoa deve baixar o aplicativo de sua empresa escolhida e fazer o cadastro. Lá, eles pedirão informações de contato e pessoais — telefone, endereço, CPF e RG, por exemplo. Além disso, é preciso declarar uma renda mensal. Depois de enviados esses dados, há a fase de verificação de que a pessoa fazendo o cadastro é realmente ela. Geralmente, o sistema pede para liberar a câmera do celular e tirar uma foto de rosto do usuário segurando o RG. Não é permitido tirar uma fotografia antes e fazer o envio, ok? A imagem deve ser feita diretamente do app do banco digital para evitar fraudes, montagens e etc. Assim, o sistema irá avaliar se as informações foram inseridas corretamente e, em caso positivo, você já estará cadastrado oficialmente. Também será feita uma análise de crédito para definir seu pacote, limite de uso de cartão, etc. Em alguns dias, receberá seu cartão em casa e poderá começar a usar os serviços.

Quais as principais diferenças entre os bancos tradicionais e digitais?

Agora, quando se trata de serviços oferecidos, quais as maiores diferenças em relação aos bancos tradicionais? Além da diferença no processo de abertura de compras, como já mencionei aqui, há mais alguns pontos que tornam a opção digital bastante interessante para a população. São eles:

Atendimento

O banco digital oferece suporte via internet e telefone, enquanto o tradicional também conta com o espaço presencial. Segundo uma pesquisa do Instituto Qualibest, 22% das pessoas que já conhecem o modelo de serviço do banco digital ainda sentem receio de apostar nesse tipo de instituição financeira por não haver atendimento físico. Segundo a maioria destas, uma agência é uma garantia caso haja algo errado. Entretanto, o banco digital preza pela agilidade em seu relacionamento com o cliente. Reduzindo a burocracia, o contato via app, redes sociais ou telefone costuma ser mais rápido. Dessa forma, a pessoa consegue resolver seus problemas de forma simples, sem nem ao menos precisar sair de casa.

Tarifas

Por outro lado, a opção tecnológica oferece uma maior vantagem em relação à taxação dos clientes. Muitos deles, por exemplo, contam com zero anuidade para os cartões de crédito. Além disso, a tarifa para transações como DOC e TED também tendem a ser diferentes, quando comparados com os bancos tradicionais. Lembrando que as instituições financeiras já estabelecidas possuem pacotes de serviços básicos e gratuitos, conforme manda o Banco Central do Brasil. Entretanto, as funções são limitadas.

Serviços oferecidos

Essa também é uma objeção de quem não conhece muito sobre o banco digital, mas, não se preocupe: são oferecidos os mesmos tipos de serviços de uma instituição tradicional também são garantidos. Ou seja, será possível:
  • usar cartão de débito;
  • solicitar cartão de crédito;
  • pagar contas pelo app;
  • fazer saque em caixas 24h;
  • transferir dinheiro, mesmo que para outros bancos;
  • receber depósitos;
  • acompanhar o extrato de movimentações.

Confiabilidade

Algumas instituições financeiras digitais contam com o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que é um ponto que traz muita confiabilidade para seus clientes. Isso porque esse crédito poderia ser utilizado caso o banco quebre e precise reembolsar as pessoas. E aí, você acha que vale a pena usar um banco digital? Continue lendo blog da T2 Educação para entender mais sobre o mercado financeiro!
Tiago Feitosa
Tiago Feitosa

Graduado em Matemática e pós graduado em negócios bancários pela FAAP. Possui as certificações CPA10, CPA20, CEA e AAI, além disso é Consultor de Valores Mobiliários credenciado na CVM. Se dedica a ajudar cada vez mais pessoas a se capacitarem profissionalmente.

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Você também pode se interessar por

Acesso Rápido