Como Ser um Agente Autônomo de Investimentos? Confira o Passo a Passo

Decidiu ser um agente autônomo de investimentos, meu nobre gafanhoto? Então você tem um caminho para percorrer até chegar lá!

Existem muitos detalhes que precisa conhecer para ser um profissional legalizado e poder, realmente, trabalhar como um AAI!

Neste artigo eu vou te explicar o passo a passo para você já ficar sabendo e não pular nenhuma etapa, beleza? Confere aí!

1. Quer ser um agente autônomo de investimentos? Passe na Ancord!

Meu nobre gafanhoto, para ser um agente autônomo de investimentos, o primeiro passo é passar na certificação da Ancord. Sem isso, você não tem nem como começar!

Para conseguir ir bem no exame, é importante já manjar dos paranauês do mercado financeiro e, claro, estudar bastante.

Aqui na T2 a gente tem um curso preparatório completo para a Ancord, que com certeza vai te ajudar a passar na prova. E o melhor: tudo 100% online para você assistir a qualquer hora, até fora de casa!

Além disso, lá eu explico um pouco mais sobre a profissão e dou algumas dicas de como funciona esse processo todo, então vale a pena conferir.

2. Passou na prova? Hora de se credenciar!

Passar na Ancord não é tudo o que você precisa para ser um agente autônomo de investimentos. Depois de passar no exame você precisa se credenciar na CVM!

“Ai, Tiago, que preguiça de pegar fila…”

Relaxa, nobre gafanhoto. Não vai precisar pegar fila não. Na verdade, você só precisa mandar para a Ancord uns documentos simples, e eles já vão te credenciar:

  • atestado de conclusão do ensino médio;
  • atestado de que não é inabilitado a exercer nenhum cargo em instituições financeiras, por qualquer razão;
  • atestado de que não foi condenado por nenhum crime contra a economia ou o Sistema Financeiro Nacional, além de não ter sido vedado a exercer cargos públicos no passado.

Quando a gente fala de credenciamento, você também precisa fazer o seu CNPJ. E para isso, precisa prestar atenção em alguns detalhes:

a sua empresa precisa ter sede no Brasil;
você deve cadastrá-la como objeto exclusivo, ou seja, ela é criada SOMENTE para ser um agente autônomo de investimentos, e nada mais;
ela deve estar em regime de sociedade simples, o que significa que todos respondem por todos e se o seu coleguinha fizer algo errado, na maldade, você também terá problemas, beleza? Isso se chama responsabilidade solidária.

Outro detalhe: você, enquanto sócio de um escritório de AAI, não pode ser sócio de outro.

“Tiago, posso ser sócio de uma padaria?”

Pode, de qualquer negócio, mas não de outros escritórios.

3. Vincule-se a uma instituição financeira

Para ser um agente autônomo de investimentos você precisa, obrigatoriamente, estar vinculado a uma instituição financeira.

“Tiago, eu posso me cadastrar em quantas instituições eu quiser?”

Então, deixa eu explicar isso melhor. Quando estamos tratando de bolsa de valores, ou seja, dos produtos que não negociados em bolsa, você pode se cadastrar a apenas uma instituição, no entanto, no processo de distribuição de produtos de renda fixa e de fundos de investimentos, você pode, caso queira, representar mais de uma instituição financeira.

A CVM está querendo mudar isso, e permitir que um AAI possa representar mais de uma instituição, mas por enquanto a ideia não saiu do papel.

Ou seja, depois de fazer tudo isso aí em cima, você precisa procurar uma corretora para se afiliar, ok? Sem isso você não pode exercer a profissão de maneira alguma.

Gostou de entender o passo a passo para ser um agente autônomo de investimentos? Confira mais dicas sobre a profissão no blog da T2 Educação!

0

Compartilhar este post:

Deixe o seu comentário!