Currículo Para Banco — Aprenda a Ter um Currículo Atrativo Para o Mercado Financeiro

Quer montar um currículo para banco? Então você precisa saber o que colocar nele para que seja atrativo e faça você atingir seus objetivos.

Pense: quantos mil currículos os selecionadores recebem todos os dias? Pois é. E por que eles deveriam escolher justo o seu? Uma foto bonita não ajuda aqui!

Para conseguir destaque, o seu currículo precisa mostrar algo diferente do dos outros candidatos, certo? Afinal, ele vai ser a primeira impressão que a instituição terá de você e do seu histórico profissional.

De maneira geral, você precisa entender o seu currículo como uma proposta comercial, ou seja, ele precisa te vender pelas suas habilidades!

Não adianta ser o melhor em tudo se não souber mostrar isso no papel, concorda? O currículo, a ideia que os recrutadores terão de você e, claro, a entrevista, precisam andar juntos.

Como fazer um currículo para banco?

Se você acha que você é a pessoa certa para a vaga, o seu currículo deve mostrar isso para quem faz a seleção. O primeiro passo é responder a algumas perguntas:

  • quem sou eu?
  • o que eu quero?
  • por que eu quero trabalhar em banco?
  • em qual área do banco eu me vejo trabalhando?
  • o que eu faço melhor?
  • o que irei agregar estando na equipe da instituição?

Com isso respondido, é hora de criar o documento!

Aqui, a etapa inicial é fazer a sua carta de apresentação. Nela você deve destacar as suas experiências e deixar evidentes seus resultados positivos e as habilidades que adquiriu ao longo do tempo, com foco para aquelas que você usará em seu possível cargo no banco.

O documento deve ser limpo, claro, objetivo e, por favor, sem erros de português!

Pense que o visual não deve se destacar agora, e sim o conteúdo, que deve transmitir seriedade e profissionalismo.

Para conseguir conquistar os recrutadores da instituição, você vai precisar adicionar alguns itens ao seu currículo. Eles são indispensáveis, ok?

1. Dados pessoais

Como alguém vai falar com você se não souber quem é você, não é mesmo?

Porém, embora pareça óbvio, é importante colocar todos os dados necessários!

Por isso, para você não esquecer nada, fizemos uma pequena lista:

  • nome;
  • bairro;
  • cidade;
  • estado;
  • estado civil;
  • idade;
  • e-mail;
  • telefone e celular com DDD;
  • LinkedIn.

2. Objetivo

Sabemos que seu objetivo, pode ser ficar rico trabalhando no banco. Porém, não é desse tipo de meta que falamos aqui!

O objetivo é, basicamente, uma descrição da área na qual você deseja atuar nas instituições bancárias. Escolha uma e coloque em destaque nessa área do seu currículo.

Não coloque nada muito amplo, que dê chance para interpretações erradas, ok? Seja claro e escreva exatamente no que quer trabalhar.

3. Escolaridade

Nesse item, você precisa colocar toda a sua formação acadêmica, incluindo os cursos que você já fez e onde fez todos eles. Tudo em ordem — do mais recente até o mais antigo.

Caso você seja graduado, não precisa colocar em que escola fez o ensino médio, somente os dados da faculdade. Agora, se você ainda está cursando, coloque o ano de início e de conclusão.

4. Idioma

O que se espera é que não só o seu recrutador, mas todos do banco saibam falar minimamente o português, certo? Então por que você deveria colocá-lo no currículo?

Escreva somente os idiomas estrangeiros, acompanhados dos níveis (intermediário, avançado ou fluente). Se for somente básico, também não é necessário! Lembre-se: o que é básico não te vende.

5. Certificações

No blog da T2 já falamos muito sobre o quanto seu diploma é ainda melhor com as certificações para se dar bem no mercado financeiro, certo?

Se você não sabe colocar a CPA 20, 10 ou o CEA, que você se esforçou tanto para conseguir, no currículo, é como se não tivesse feito. Ela precisa estar descrita lá!

Colocar certificações em um currículo focado no mercado financeiro te diferencia os outros candidatos e, claro, vai te dar mais chances de ser promovido no futuro.

6. Descrição das atividades

Além do texto de apresentação, que falamos lá em cima, você precisa também mostrar tudo o que já fez em seus outros empregos.

Caso você já tenha experiência na área em que deseja atuar, aproveite e incremente ainda mais a sua apresentação falando sobre a rotina de trabalho, e destacando tudo de acordo com o cargo que você deseja.

Dessa maneira, além de deixar claras as suas experiências, você ajuda o recrutador a entender melhor o seu perfil profissional e seus conhecimentos no segmento.

Coloque todas as empresas que já trabalhou também, da última para a penúltima. Descreva um pouco a empresa (coloque o segmento de mercado e a função principal), quanto tempo trabalhou lá e, claro, o seu cargo.

7. Cursos, workshops e palestras

Não tem como fazer um currículo para trabalhar em banco sem adicionar todos os cursos, workshops, congressos e tudo o mais que você já fez na vida para preencher o campo de eventos.

Na área bancária, estar sempre antenado e pronto para lidar com as novidades é essencial!

Mostre que você está atualizado e preparado para os desafios do mercado. Insira todos os cursos, as aulas extras da faculdade e projetos, mesmo que feitos à muito tempo.

Faça uma pequena descrição do evento e de quais foram os assuntos e especialidades abordados. Caso seja relevante, coloque também o nome de quem ministrou. Essas experiências trazem mais visibilidade para o currículo e agregam valor ao seu lado profissional.

8. Experiências Internacionais

Já viajou para algum lugar legal ou fez um intercâmbio? Adicione as mais relevantes para o seu objetivo no currículo!

Inclua também eventos em outros países, se for possível.

O que evitar ao fazer um modelo de currículo para banco?

Falamos das melhores práticas, certo? Agora é hora de mostrar o que você não deve, de jeito nenhum, colocar no seu currículo!

  • referências — adicionar telefones ou dados de superiores ao documento é muito invasivo. Só repasse os contatos se o recrutador solicitar;
  • exageros visuais — seu currículo pode ter um design legal, mas acima de tudo precisa ser claro. Evite muitas cores ou itens desnecessários, e as fotos só devem ser colocadas se alguém pedir para você;
  • fontes simples — ao escrever, aposte nas fontes mais simples: Arial ou Times New Roman, pretas, em fundo branco;
  • não exagere no tamanho — no máximo duas páginas, mas evite também fazer algo sucinto demais, pois pode não ter detalhes importantes para você conseguir a vaga;
  • lembre de todos os pontos — toda e qualquer característica que faltar no seu currículo pode influenciar em uma possível desclassificação. Não esqueça de falar de suas experiências e melhores habilidades para o cargo!

Por fim, invista tempo em conseguir bons contatos para mandar currículo para bancos. Os melhores profissionais estão no LinkedIn, e lá você pode adquirir um bom networking para começar!

Tenha seu currículo sempre com você para enviá-lo de qualquer lugar (e-mail, nuvem, salvo no celular), e sempre atualizado.

Espero que estas dicas sejam úteis para você melhorar seu currículo e conseguir trabalhar no banco ou até mesmo partir para uma nova jornada profissional no mercado financeiro!

2+

Compartilhar este post:

Deixe o seu comentário!