Excesso de Confiança – Descubra como esse viés influencia em nossas decisões

confiança

Conceito de Excesso de Confiança

O viés (ou heurística) é um tipo de comportamento que basicamente todos os seres humanos possuem em comum. Ele ocorre quando nós temos uma grande certeza ou confiança em algo que julgamos saber e nos argumentos que nos fazem tomar alguma decisão.

Em outras palavras é um viés cognitivo que faz uma pessoa sobrevalorizar sua própria capacidade de entendimento de algo influenciando sua tomada decisão com base no “tenho certeza absoluta disso”.

Mesmo sendo algo natural de todos nós, o pesquisador Daniel Kahneman considera que esse é o mais “potencialmente catastrófico” de todas as heurísticas cognitivas de que os seres humanos são vítimas.

 

Quer saber mais sobre outras heurísticas das finanças comportamentais, estude com a gente, nossos cursos de certificação abordam esses e outros vieses que fazem parte do dia a dia do mercado financeiro. 

Entendo a forma de manifestação do Excesso de Confiança

Existe basicamente três formas diferentes do viés de excesso de confiança se manifestar:

·         Sobrevalorização do real desempenho de uma pessoa;

·         Confiança excessiva em suas convicções;

·         Troca do desempenho de uma pessoa em relação a outros;

Há um estudo interessante sobre esse viés feito pelo professor de psicologia Ola Svenson. Nesse estudo ele fez pesquisas com uma amostragem de condutores de veículos nos Estados Unidos para saber qual era a percepção deles em relação a sua postura no trânsito.

O resultado do estudo foi surpreendente, 93% dos motoristas se consideravam melhores que a média, o que é matematicamente impossível.

Mas por qual motivo fazemos isso? Por que a gente falha dessa forma quando tentamos estimar o quanto sabemos sobre alguma coisa e o quanto conseguimos fazer, não tendo compreensão até das nossas próprias habilidades? Essa resposta conseguimos encontrar em vários outros vieses, pode acreditar.

O principal fator é devido ao nosso cérebro não ter a menor pretensão em ser preciso.

E por qual motivo ele é assim? Segundo um estudo do Howard Hughes Medical Institute, isso acontece porque no mínimo 70% das vezes em que um neurônio transmite uma informação a outro, existe uma falha, em outras palavras, a comunicação não é precisa. A boa notícia é que a nossa sobrevivência não depende de precisão.

Para ter a precisão de um supercomputador, nosso cérebro precisaria consumir muito mais energia, nesse caso sim nossa espécie teria um problema para sobreviver. 

Como esse efeito acontece no mercado financeiro?

Se um investidor possui confiança excessiva nos conhecimentos que tem, isso pode fazer com que ele superestime o que sabe sem olhar o cenário ao redor, ele sempre irá achar que sua capacidade de analisar um ativo é melhor do que a média.

Nossa segurança no processo de tomada de decisão pode inclusive aumentar devido a quantidade de informações disponíveis.

Entretanto, é muito importante aliar o equilíbrio emocional em conjunto com o domínio dos assuntos relacionados ao mercado financeiro.

Um dos perigos do excesso de confiança é que se em um momento os resultados que o investidor conquista nos investimentos for positivo, isso pode corroborar com sua sensação de confiança e fazer com que ele se exponha ainda mais a riscos.

Caso isso venha acontecer, se em algum momento ele tiver um prejuízo em uma operação por exemplo, pode sofrer perdas muito maiores devido sua alta exposição ao risco.

O conceito principal é sempre fazer tudo com equilíbrio. 

Como evitar cair no viés do Excesso de Confiança?

A primeira coisa a se pensar a respeito disso é entender que sim, esse viés existe e afeta a todos nós, o que precisamos então é saber conviver com isso refletindo antes de agir para correr o risco de cair em uma armadilha que poderia ser evitada se fosse pensada antes da execução.

Buscar sempre informações de qualidade de diversas fontes também ajuda a otimizar o processo de tomada de decisão além de aumentar a qualidade de nossa análise.

Por fim, sempre tenha em mente que, embora o seu cérebro não seja preciso, isso não pode ser usado como álibi para tomar decisões imprudentes.

Mesmo enviesado, nós como investidores, continuamos sendo os únicos responsáveis pelas decisões que tomamos.

Te vejo no próximo artigo, até mais!

Compartilhe!

guest
0 Comentários

Você também pode se interessar por

COMPARTILHE!

Acesso Rápido