IDH: O Que É E Quais São Os Seus Indicadores?

Com certeza você já ouviu falar de IDH. Esse é um índice divulgado todos os anos e pretende revelar o nível de desenvolvimento de um país. Ele é importante para mapear quais aspectos de uma nação precisam de mais investimentos e atenção estatal. 

A seguir, eu explico melhor o que é essa métrica, como ela é calculada e quais indicadores são considerados para fazer essa avaliação. Continue comigo!

O que é IDH?

IDH é a sigla para “Índice de Desenvolvimento Humano”: um indicador usado para medir, avaliar e comparar o grau de desenvolvimento social e econômico das nações do mundo todo

Esses valores são divulgados anualmente em um relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

O índice foi criado em 1990 pelos economistas Mahbub ul Haq e Amartya Sen. O IDH foi pensado por eles para contrapor outro importante e famoso indicador de desenvolvimento, o PIB (Produto Interno Bruto). Na visão de Haq e Sen, esse último parâmetro desconsiderava outros aspectos importantes do progresso, avaliando apenas a dimensão econômica. 

Portanto, para fazer essa avaliação comparativa e mais abrangente, são considerados três aspectos que afetam a vida de todos os cidadãos em qualquer lugar do planeta: saúde, educação e renda

Principais indicadores de IDH

Esses três indicadores que foram estabelecidos se propõem a entender a qualidade de vida de uma população para além somente da riqueza do país — o que é bastante contraditório, você vai entender mais para frente. 

Eles são mensurados a partir dos seguintes critérios:

  1. educação: é calculado a partir da quantidade média de anos de estudo de uma população. Há o entendimento de que, quanto mais as pessoas estudam, maiores são as chances de desenvolvimento do país;
  2. saúde: medido através da taxa de expectativa de vida. Isso porque, se as pessoas estão vivendo mais, é porque teoricamente elas estão tendo acesso aos cuidados necessários para isso, como vacinas e medicamentos, por exemplo;
  3. renda: se baseia no valor médio de rendimento dos cidadãos com base na média do PIB — que é toda a riqueza produzida por um país dividida pelo número de habitantes. 

Como é calculado o índice de desenvolvimento humano?

No cálculo do índice de desenvolvimento humano, os três indicadores que eu te apresentei acima têm o mesmo peso. O Índice é uma média dos valores individuais de cada um, por isso, antes de chegar nele, é preciso calcular um por vez. 

Então, só para você entender como isso é quantificado, imagine o critério de expectativa de vida no indicativo de saúde. Existe um valor ideal estabelecido do que seria uma idade mínima e máxima — considere 20 anos e 80, respectivamente. 

Para saber qual é a média de um local, é preciso levantar dados de quais são as idades mínima e máxima de expectativa de vida ali. Suponha que seja de 15 e 60. O cálculo da média será feito da seguinte forma:

60 – 15 / 80 – 20 = 0,75

Depois de fazer um cálculo desse (realidade dividido pela expectativa) para os três indicadores, basta fazer uma média final, somando os valores obtidos e dividindo por 3. Os resultados variam de 0 a 1, sendo classificados de seguinte forma:

  • até 0,499: desenvolvimento humano baixo;
  • entre 0,50 e 0,799: desenvolvimento humano médio;
  • de 0,8 para cima: desenvolvimento humano elevado.

O Brasil alcançou um índice de desenvolvimento humano elevado pela primeira vez em 2007, com 0,8.

IDH do Brasil

O último levantamento de IDH do Brasil, feito em 2020 e divulgado em 2021 pela Pnud, revelou um índice de 0,765. Isso coloca o nosso país na 89ª posição no ranking global com 189 países. 

Além do índice global, o Brasil adaptou a métrica para o cenário nacional e ainda faz cálculos do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), reunindo informações socioeconômicas de todos os estados e municípios brasileiros. 

Bom, apesar de se propor a ser essa métrica que não considera “só a dimensão econômica”, o IDH tem algumas limitações. Por exemplo, países que têm maior PIB veem isso se refletir na educação e na saúde. Então acaba que esse fator continua sendo o de maior impacto. 

Além disso, ela também deixa de fora aspectos importantes, como a democracia, o nível de participação, equidade e sustentabilidade. Por fim, como é uma média, acaba por mascarar e não considerar as desigualdades e como elas afetam esses aspectos. 

Por este motivo, surgiram alguns indicadores complementares. 

Indicadores complementares ao IDH

São três os principais indicadores complementares:

  • Índice de Desenvolvimento Humano Ajustado à Desigualdade (IDHAD): essa métrica leva em consideração as desigualdades nas três dimensões do IDH, “descontando” essa proporção do valor médio. Sendo assim, é como se o IDH fosse o número ideal e potencial, e o IDHAD fosse o real;
  • Índice de Desigualdade de Gênero (IDG): calcula desigualdades de gênero com base em três fatores: saúde reprodutiva (considera a taxa de mortalidade materna e de fertilidade entre adolescentes),  autonomia (medida pela proporção de assentos parlamentares e obtenção de educação secundário divididos por gênero)  e atividade econômica (avalia a participação no mercado de trabalho para cada gênero);
  • Índice de Pobreza Multidimensional (IPM): identifica carências múltiplas em educação, saúde e padrão de vida nos mesmos domicílios.

Agora que você já sabe tudo sobre o Índice de Desenvolvimento Humano, que tal dar uma olhada naquele que foi a sua inspiração? Veja neste artigo como o PIB é calculado.

Compartilhe!

guest
0 Comentários

Você também pode se interessar por

COMPARTILHE!

Acesso Rápido