Mercado de Opções: como funciona?

Mercado de Opções!

Não, você não leu errado. É opções, não ações.

Hermione Granger Harry Potter Wingardium Leviosa - T2 Educação


Pode parecer confuso no começo, mas é dando exemplos que espero explicar de um jeito fácil o que são as opções e seu mercado.

Em suma, investir em opções significa comprar o direito de comprar ou vender um ativo ou produto. E isso já com um preço pré-determinado, e somente na data escolhida no momento do contrato.

Eu disse que poderia ser um pouco confuso, né?

O mercado de opções serve, inclusive, para investidores que querem proteger suas ações das rápidas mudanças que estão presentes no mercado de renda variável. As opções são negociadas na B3, como tudo na renda variável.

Como funciona o mercado de opções?

Agora sim, é hora do exemplo! E aí é claro que pedi a ajuda do professor Tiago Feitosa.

Imagine que você compre um apartamento ainda na planta. O dinheiro investido ali é como que investido no mercado de opções.

Vamos supor que o valor do apartamento, na entrega das chaves, é de R$ 300.000,00. Mas como não será entregue agora, o que você precisa fazer é pagar somente uma entrada.

Vamos usar como exemplo o valor de R$ 30.000,00. Ou seja, você pagou R$ 30.000,00 para ter o direito de comprar o apartamento por R$ 300.000,00. Agora o que você tem nas mãos? O direito sobre um apartamento que vale R$ 300.000,00 e que será entregue no futuro.

Pronto, você entendeu o mercado de opções.

Mas é claro que não vou terminar o artigo assim, sem fazer o paralelo necessário com mercado de opções.

Indo a fundo nos valores

Veja, você desembolsou R$ 30.000,00 para o direito de comprar o apartamento pode R$ 300.000,00 (nesse exemplo, o valor pago como entrada será descontado do valor da compra).

Agora imagine que 1 anos depois, ainda antes da entrega, este apartamento esteja cotado em R$ 330.000,00. Você, uma pessoa muito esperta, negocia esse contrato com outra pessoa que lhe pagará R$ 330.000,00.

Olha o que aconteceu aqui.

Inicialmente você desembolsou R$ 30.000,00. Assumiu a responsabilidade pagar R$ 270.000,00 na entrega do apartamento. Antes de receber o apartamento você vendeu para uma outra pessoa que lhe pagou R$ 330.000,00.

A conta ficou assim: Você investiu R$ 30.000,00. Recebeu R$ 330.000,00 e pagou para a construtora R$ 270.000,00. O resultado dessa operação é que lhe sobrou R$ 60.000,00 (R$ 30.000,00 que você investiu + R$ 30.000,00 de lucro).

Em outras palavras, você teve um lucro de 100%. Nada mal, né? Esse lucro só foi possível porque você pagou apenas uma parte do contrato, mas teve direito sobre o contrato inteiro.

Antes de irmos para a prática do mercado de opções, deixa eu dar um aviso importante: assim como você conseguiu, nesse caso, potencializar seus ganhos, se o preço do imóvel caísse, você potencializaria sua perda na mesma proporção.

Agora sim, vamos para a prática do mercado de opções.

As opções na prática

Primeiro vamos entender uma coisa. No mercado de opções temos uma CALL (essa é uma opção de compra, semelhante ao caso do apartamento) e uma PUT (essa é uma opção de venda. Aqui você compra o direito de vender uma coisa no futuro).

Na opção de compra, vamos fazer a seguinte analogia. Você não tem nenhum ativo, mas acredita que as ações do Banco ABC serão valorizadas. Que daqui 30 dias elas estarão valendo 30 reais.

Como você está apostando na alta do ativo, você compra uma opção de compra (paga um prêmio por esta opção) para ter o direito de comprar a ação pelo preço pré-estabelecido de 30 reais. Se você quer comprar por R$ 30,00 significa que no dia da compra ela estará valendo mais do que isso, certo?

Respira fundo. Deu pra entender?

Vamos dizer que você comprou a opção de comprar cada ação do Banco ABC por 30 reais. Se depois de 30 dias as ações realmente estiverem valendo 40 reais, por exemplo, você compra cada uma por 30 e vende por 40 reais e lucra 10 reais em cima de cada uma delas. Certo?

Na verdade, não.

Para você comprar uma opção necessariamente você pagar um prêmio. Esse prêmio é semelhante a entrada do apartamento. Você paga uma fração do valor do ativo para ter direito sobre o ativo. O difere, nesse caso, é que o prêmio não é abatido na hora da compra.

Então, imagine para comprar a opção, pagou R$ 1,00. Nesse caso, como fica nossa conta:

Você pagou R$ 1,00 de prêmio, ganhou R$ 10,00 por ação na hora da venda. Nesse caso vamos descontar o valor pago como prêmio do lucro. Assim, nesse nosso exemplo, você ganhou R$ 9,00 por ação. Ainda assim nos parece um excelente negócio, né? Você investiu R$ 1,00 e ganhou R$ 9,00.

Sacou?

Como funciona uma PUT?

Na opção de venda, acontece o caminho contrário da negociação. Você acredita que as ações do Banco ABC vão cair. Cada ação vale 20 reais, mas você acha que o valor delas vai cair para 10 reais.

Então, você paga um prêmio para ter o direito de vender cada uma por 20 reais. Assim, se esse quadro der certo, você venderá por 20 reais algo que vale 10 (descontando, é claro, aquele hipotético 1 real que você gastou para comprar a opção de venda).

A gente pode resumir as opções da seguinte forma:

Se você acredita que o preço de um ativo vai subir no mercado, você compra uma opção de compra (CALL). Isso porque você pode comprar por um preço mais baixo do que preço que estará no futuro.

Se você acredita que o preço de um ativo vai cair no mercado, você compra uma opção de venda (PUT). Isso porque você poderá vender por um preço mais alto do que o preço que estará no futuro.

Agora, imagine que por alguma razão, sua estratégia tenha dado errado. Ou seja, se no caso da opção de compra das ações do banco ABC, o preço, ao invés de subir, cair. O que acontece com seu investimento de um R$ 1,00 (o prêmio que você pagou)? Bem, nesse caso, é bom você ser bem desapegado de dar adeus para esse R$ 1,00.

Em outras palavras estou falando que se a estratégia der errado você não exerce o seu direito e perde o que pagou de prêmio. Aliás, para quem compra a opção, o valor do prêmio é sempre o máximo que pode perder, caso a operação de errado.

Um pequeno resumo do Mercado de Opções

Uma pergunta que talvez você esteja fazendo é: tá, mas se pago o prêmio, quem recebe esse dinheiro? A mão invisível do mercado? Quem recebe o valor do prêmio é a contraparte da operação. Traduzindo: é um outro investidor que negociou com você.

Então, se você comprou uma opção de compra, significa que você pagou um prêmio para ter o direito de comprar alguma coisa. Se você pagou, alguém recebeu, né?

Pois é, quando você para ter o direito você dando o dinheiro para alguém ter a obrigação. Assim, se você tem o direito de comprar, caso exerça seu direito, o sujeito que recebeu o prêmio tem obrigação de vender.

O contrário é verdadeiro. Se você pagou para ter o direito de vender, o sujeito que recebeu o prêmio tem obrigação de comprar, caso você exerça seu direito. Fácil, né?

Deixa eu colocar alguns termos técnicos aqui:

  • O sujeito que paga o prêmio para ter o direito é chamado de TITULAR da opção.
  • O sujeito que recebe o prêmio e se compromete em ser a contraparte é chamado de LANÇADOR da opção.

Assim, o lançador tem obrigação. Ele recebeu um prêmio para isso. O titular tem o direito. Ele recebeu um prêmio para isso.

O mercado de opções fascinante e, ao mesmo tempo, amplo demais. Para que esse post não fique ainda maior, vou encerrando por aqui e prometo que, na próxima semana, trago mais informações sobre os riscos e mais alguns termos utilizados nesse mercado, o que acha? Semana que vem tem mais.

Gostou do nosso post? Deixa aqui seu comentário pra tirarmos a sua dúvida!

E se você quer estudar com um curso completo para a ANBIMA, conheça nossos cursos preparatórios. Nós temos curso para CPA 10, curso para CPA 20 e curso para a CEA.

 

0

Compartilhar este post:

Deixe o seu comentário!