Mercado de Opções: O Guia COMPLETO

Você já passou por isso? 

Nos momentos de estudos preparatórios para o exame de certificação CPA 20 você se deparou com um tema que te gerou muito medo e insegurança.

Sabemos que a CPA 20 acaba pedindo alguns conteúdos a mais do que a CPA 10 e um deles, que gera muito pavor entre os candidatos, é o tema Mercado de opções.

O mercado financeiro é composto por diversos elementos que atuam cada um com uma finalidade bem definida. Mas, um dos que mais gera dúvida pelas suas diferentes formas de aplicação é um dos elementos do mercado de derivativos, chamado opções. 

Quer entender de uma vez por todas tudo sobre uma das áreas mais utilizadas dentro desse mercado?

Acompanhe esse artigo para entender como funciona o mercado de derivativos, em específico o mercado de opções.

Então venha comigo!

Depois desse artigo você se sentirá mais preparado para realizar a sua prova e conseguir a sua tão sonhada certificação financeira.

Continue lendo para saber mais sobre:

  • O que é mercado de derivativos
  • Mercado de opções
  • Tributação no mercado de opções

 

O que é Mercado de Derivativos?

 

Quando pensamos na palavra “derivativo podemos entender que é algo que deriva de alguma outra coisa.

Por exemplo:

Nós podemos dizer que o queijo e o iogurte são dois derivados do leite. 

Com esse pensamento, vamos voltar para a palavra “derivativos” e dividir ela da seguinte maneira:

Derivativos

Em outras palavras, posso dizer que os derivativos são instrumentos financeiros que estabelecem valores econômicos baseado em outros ativos. 

Ficou bem claro, não é mesmo?

Dentre os principais tipos de derivativos temos:

    • Mercado a Termo;
    • Mercado Futuro.
    • Swap;
    • Mercado de Opções.

 

Como funciona o mercado de derivativos? 

Vou utilizar um exemplo simples para que você entenda como funciona a lógica desse mercado:

Em uma cidade que você sempre sonhou morar, existe o lançamento de um empreendimento imobiliário que ficará pronto nos próximos 5 anos. Você possui a oportunidade de comprar esse apartamento na planta HOJE.

Após uma visita com toda a sua família dentro do stand decorado você não consegue pensar em outra coisa a não ser “esse é o apartamento dos meus SONHOS”. Então, você decide comprá-lo naquele dia mesmo sabendo que a construtora só irá entregá-lo daqui 5 anos. 

Estando certo da sua decisão, você entra em contato com a construtora, assina o contrato, paga o valor da entrada do apartamento para que somente após o recebimento da chave do imóvel você comece um financiamento.

E eu pergunto para você:

Ao realizar esse tipo de operação, você realmente comprou o imóvel?A resposta é NÃO. 

Na realidade, você comprou o direito de comprar o imóvel no FUTURO, que será quando você receber as chaves e iniciar o processo de financiamento.

Quando você realizou o pagamento da entrada do apartamento, você praticamente realizou uma operação que dentro do mercado de derivativos nós chamamos de opção de compra. 

Fique tranquilo, vou falar bastante sobre esse tipo de operação mais pra frente no artigo. 

Esse exemplo do apartamento foi apenas uma maneira de como você pode enxergar o mercado de derivativos.

Portanto, o que você deve levar desse exemplo é que dentro do mercado de derivativos os investidores compram o direito de ter algo no futuro em preços previamente determinados.

E que as operações de derivativos sempre terão um ATIVO que irá estabelecer valores econômicos para a operação.

No exemplo que a gente viu, o ativo da operação foi o apartamento.

 

Os agentes de mercado 

Sempre que a gente falar do mercado de derivativos, temos que entender que ocorrerá a participação de 2 players, o Hedge e o Especulador:

 

Hedge

Quando você ouvir falar de “hedge” dentro dos investimentos, pense em proteção.

Uma das maiores utilizações dos elementos do mercado de derivativos é a proteção financeira referente ao risco da variação de um retorno/pagamento financeiro no futuro. Por exemplo:

Um produtor de café sabe que consegue vender o seu produto no valor de R$ 35,00. O grande problema é que ele não sabe qual será o valor do café quando chegar a época da colheita. O café pode ser cotado por valores mais altos ou até mesmo por valores mais baixos.

Para se proteger desse risco da variação do retorno financeiro que o seu produto pode gerar ele irá para o mercado de derivativos realizar um Hedge através de uma operação chamada mercado a termo, por exemplo.

Neste instrumento financeiro (mercado a termo) você consegue vender, no caso a safra de café que ainda não foi colhida, a um valor acordado entre você e o comprador.

 

Especulador

Enquanto existe alguém realizando uma operação de derivativos para se proteger (hedge), existe também alguém do outro lado realizando a mesma operação, mas com a intenção de conseguir um ganho de capital.

Vamos voltar para o exemplo do café:

O produtor realizou uma trava na variação do retorno financeiro do seu produto no mercado a termo. 

A contraparte para a realização desse hedge foi o especulador, que, por diversos motivos acredita que o contrato que ele está firmando com o produtor pode ter uma valorização no futuro e obter um retorno financeiro nisso. 

No exemplo que dei o produtor firmou um contrato com o especulador no valor de R$35,00. Caso o valor de mercado do café suba para R$45,00, o especulador obteve um ganho de R$10,00, pois ele pagou R$35,00 em algo que vale R$45,00.

Com isso, podemos verificar que dentro das operações de derivativos um lado ganha enquanto o outro lado perde.

No exemplo, enquanto o especulador ganhou seus R$10,00, o produtor perdeu os mesmo R$10,00, pois ele está vendendo algo por R$35,00 que na realidade vale R$45,00.

Mas, para o produtor o importante é garantir que a sua safra seja vendida no valor determinado no contrato de mercado a termo, pois assim ele consegue obter um retorno suficiente para suprir todas as suas necessidades de operação, em outras palavras, ele protegeu o seu investimento.

Até aqui …

Nós aprendemos o que é o mercado de derivativos e conhecemos as duas figuras mais importantes para o funcionamento deste sistema.

Agora vamos nos aprofundar dentro do mercado de opções, que é um dos tipos de operações existente dentro dos derivativos.

Está preparado?

 

 Mercado de Opções 

mercado de opçoes

As opções são contratos que garantem aos seus titulares o direito de comprar ou vender um determinado ativo, em uma determinada data futura por um preço que foi previamente acordado entre o lançador e o titular

Caso você não tenha entendido muito bem o que tudo isso quis dizer, calma…

Vamos voltar para o exemplo do apartamento na planta e tudo vai ficar mais claro!

 

Como funciona o mercado de opções 

Quando você comprou o apartamento na planta, na realidade você comprou o direito de comprar esse apartamento quando ele estiver pronto. 

No momento do acordo com a construtora você pagou um valor de entrada para ter o direito de comprar esse imóvel lá na frente, quando ele estiver completamente construído. 

Preste atenção nesta parte, você tem o DIREITO de comprar, mas, não tem a obrigação. 

O que estou querendo dizer é que caso você mude de ideia em relação a compra do apartamento já finalizado, você não será obrigado a exercer esse direito.

O que acontecerá é que o dinheiro que você pagou para ter o direito, que nós chamamos de prêmio, será perdido, mas, você não será obrigado a comprar o imóvel.

Portanto, podemos dizer que o prêmio que você pagou é exatamente o risco que você correu para ter o direito de comprar aquele bem. 

No mercado de opções você pode negociar antecipadamente tudo que se diz respeito ao mercado financeiro, como por exemplo:

  • Ações; 
  • Commodities; 
  • Juros futuros;
  • Entre outros. 

O exemplo que dei do apartamento foi apenas para fins didáticos, já que ele não é um ativo financeiro, ok? 

 

Características do Mercado de Opções

Agora que entendemos como funciona o mercado de opções, vamos nos aprofundar nas características que cada contrato desse tipo de operação irá apresentar.

  • Titular do Contrato
    O titular do contrato é aquele que está adquirindo o contrato que garantirá o direito de comprar ou vender um determinado ativo em uma determinada data futura por um preço previamente acordado. 
  • Lançador do Contrato
    Esse será a contraparte do titular. Ele terá a obrigação de exercer o direito, caso exista o interesse do titular, de compra ou venda de um determinado ativo no futuro.  

Vamos exemplificar:

Eu serei o titular de uma opção de compra de uma determinada ação e você será o lançador deste contrato.

Nesse exemplo eu vou pagar para você um prêmio para que eu tenha o direito de exercer essa opção. Se eu tenho o direito e paguei por isso, você como lançador, tem a obrigação de cumprir.

  • Prêmio
    Será o valor da opção pago como custo de operação para que o titular tenha o direito de exercer a opção.
  • Ativo Objeto
    O ativo que o titular tem o direito de comprar ou vender no prazo que foi previamente acordado na opção.
  • Strike
    Também conhecido como “preço de exercício”, será o valor que será realmente pago caso o titular resolva exercer o direito de compra ou venda do determinado ativo. Exemplo:Uma opção de compra de um determinado ativo com o strike de R$10,00 dá ao titular o direito de comprar esse determinado ativo na data futura que foi previamente acordada pelo valor de exercício, ou seja, R$10,00.
  • Call
    Quando o titular está adquirindo o direito de comprar um determinado ativo, ele está comprando uma Call, ou seja, uma opção de compra.

Exemplo simbólico de operação da empresa ITAUSA:

call ações

 

Confira no gráfico como fica a operação para o titular:

call opçoes

 

Para o titular de uma opção, a perda máxima potencial é o valor que ele paga de prêmio, mas, o lucro é infinito, conforme demonstrado no gráfico acima.

Na vista da contraparte, o lançador está oferecendo o direito ao titular de comprar um determinado ativo, ou seja, ele terá a obrigação de vender esse mesmo ativo para o titular do contrato. 

Confira no gráfico como fica a operação para o lançador:

call opcoes lancador

Para o lançador o ganho é limitado pelo valor do prêmio que recebe, pois só terá lucro na operação se a opção não for exercida.

Entenda que a ideia aqui é que a Call é uma opção de compra.

  • Put
    Put é um pouco mais complicado de se entender, então não fique preocupado caso sua cabeça fique confusa de início.

Vamos lá…

Quando o titular está adquirindo o direito de vender um determinado ativo, ele está comprando uma Put, ou seja, uma opção de venda.

Exemplo simbólico de operação da empresa ITAUSA:

put acoes

Confira no gráfico como fica a operação para o titular:

comprador put

Como podemos verificar novamente a perda máxima potencial é o valor que o titular paga de prêmio, mas o lucro e infinito.

Na vista da contraparte, o lançador está oferecendo o direito ao titular de vender um determinado ativo, ou seja, ele terá a obrigação de comprar esse mesmo ativo do titular do contrato caso o titular deseje vender.  

Confira no gráfico como fica a operação para o lançador:

lançador put

É como se fosse uma opção de compra (call), mas com todos os conceitos invertidos.

Entenda que a ideia aqui é que a Put é uma opção de venda.

 

A tabela a seguir foi retirada do livro Mercado Financeiro Objetivo e Profissional, de Gilson Oliveira e Marcelo Pacheco (2017), ela vai te ajudar a entender melhor os conceitos de Call, Put, Titular, Lançador e Prêmio:

tabela opcoes

Tipos de opções 

Quando nós falamos do direito de exercer as opções, seja ela uma Call ou uma Put, nós podemos separar da seguinte maneira:

  • Opção americana: Quando o contrato pode ser exercido a qualquer momento até o vencimento, ou seja, o titular pode exercer o seu direito antes do vencimento do contrato.
  • Opção europeia: Quando o contrato não pode ser exercido a qualquer momento até o vencimento, ou seja, o titular só pode exercer o seu direito na data do vencimento do contrato. 

O padrão que geralmente é utilizado dentro do mercado brasileiro é a opção americana. 

 

Classificação das opções

As opções podem ser classificadas dentro do mercado com a intenção de indicar quais delas tem a maior probabilidade de serem exercidas no vencimento e quais as que não devem ser exercidas. 

Essa classificação é realizada através da diferença do strike e o preço do ativo objeto no mercado à vista.

strike opcoes

A classificação será da seguinte maneira:

 

  • In the Money (ITM)

Aquele tipo de operação que compensaria ser exercida no seu vencimento.

Uma opção de compra ITM (dentro do dinheiro) é aquele cujo o preço do ativo objeto no mercado à vista é superior ao valor do strike da opção, ou seja, no vencimento, o titular provavelmente irá exercer seu direito por ser uma operação favorável.

strike objeto                  

No caso de uma opção de venda ITM, uma opção estará dentro do dinheiro quando o preço do ativo objeto no mercado à vista for inferior ao valor do strike da opção, ou seja, no vencimento, o titular provavelmente irá exercer seu direito.  

strike objeto 2

 

  • Out of the Money (OTM) 

Aquele tipo de operação que não compensaria ser exercida no seu vencimento.

No caso de uma opção de compra OTM (fora do dinheiro) o preço do ativo objeto no mercado à vista é inferior ao valor do strike da opção. 

strike otm                        

No caso de uma opção de venda OTM o preço do ativo objeto no mercado à vista é superior ao valor do strike da opção.

strike otm 2

 

  • At the Money (ATM)

Aquele tipo de operação que não é possível ter uma definição se ela será exercida ou não no seu vencimento.

Tanto em uma opção de compra quanto em uma opção de venda ATM (no dinheiro) o preço do ativo objeto no mercado à vista é exatamente igual ao strike.

strike atm

 

Tributação no Mercado de Opções

mercado opcoes

Como em toda operação dentro do mercado financeiro, as opções devem ser tributadas. Verifique as condições a seguir:

IOF

Vamos começar pelo mais simples?

Dentro das operações no mercado de opções não existe o pagamento de IOF.

(Fique atento em pegadinhas na sua prova).

 

IR

Nas opções, teremos a seguinte condição: 

  • Day Trade serão tributadas em uma alíquota de 20%;
  • Operações Swing Trade serão tributadas em uma alíquota de 15%

 

ATENÇÃO: Diferentemente das ações, o mercado de opções não possui a isenção de imposto no caso de venda em até R$ 20.000,00 no mesmo mês. 

Ambas a operações (day trade e swing trade) devem ser pagas via DARF. 

 

Pagamento da DARF 

O mais importante sobre a tributação nas opções é o seguinte:

Vamos supor que você é o titular de uma call e entrou nessa opção no mês de maio/2019 com as seguintes características:

ir opcoes

Neste caso você deverá pagar a DARF sobre o Lucro, depois de descontar os custos operacionais como corretagem e taxas, no mês seguinte após o encerramento da opção.

No caso do lançador de uma opção, a base de cálculo para o IR será o prêmio da opção.

Portanto, no mercado de opções a tributação é referente ao mês em que você encerrou a operação. 

 

Conclusão

Como vimos, o Mercado de opções é um tipo de operação financeira dentro do mercado de derivativos.

Esse instrumento permite aos seus titulares o direito de comprar (call) ou vender (put) um determinado ativo, em uma determinada data futura por um preço que foi previamente acordado.

Se você chegou até aqui certamente não sentirá mais medo das opções quando elas aparecerem no seu conteúdo de estudo ou até mesmo na sua prova de certificação.

Espero que essa leitura tenha te ajudado de alguma forma.

Mas não vamos parar por aqui.

Gostaria de tirar dúvidas ou deixar dicas e sugestões?

Então poste nos comentários abaixo, será um prazer falar com você.

 

5 4 votes
Article Rating
2+
Tiago Feitosa

Tiago Feitosa

Graduado em Matemática, pós graduado em negócios bancários pela FAAP e pós graduando em Escola Austríaca de Economia. Possui certificação CEA e AAI. Se dedica a ajudar cada vez mais pessoas a se capacitarem profissionalmente.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook

Deixe um Comentário:

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Você também pode se interessar por: