Mudanças no limite de cobertura do FGC

Se você é um investidor de pequeno porte, não se preocupe. As mudanças no limite de cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Créditos) não deve trazer danos para suas aplicações.

Porém, se você detiver mais de R$1 milhão aplicados, é importante entender a novidade.

logo FGC
Assim é representado oficialmente o FGC.

 

Como era o limite do FGC antes da mudança

O Fundo Garantidor de Crédito limitava em R$250 mil, por CPF ou instituição, o valor de aplicação em um banco. Essa quantia, porém, poderia ser aplicada em qualquer banco sem limite total.

Explicando melhor: Um investidor com dois milhões e meio de reais poderia investir R$250 mil em 10 bancos diferentes, garantindo a proteção ao valor total. Hoje, a coisa mudou. Os bancos pequenos que usavam este limite como chamariz de clientes podem acabar se dando mal.

A principal mudança

O valor de R$250 mil por CPF ou instituição será mantido pelo FGC. Mas agora com o limite máximo de R$1 milhão.

Isso significa, na prática, que um investidor com R$3 milhões aplicados, por exemplo, terá somente R$1 milhão assegurado pelo FGC. Ou seja, a cobertura sera somente nos quatro primeiros bancos e investimentos.

O tempo de garantia também mudou. Agora, serão 4 anos de garantia. O investidor terá esse tempo para usar a quantia máxima de R$1 milhão. Assim, se ele receber 200 mil em caso de falência do banco, ele terá garantia de 800 mil nos próximos 4 anos.

Você não precisa se alarmar com estas mudanças. O FGC tem um patrimônio líquido de aproximadamente R$ 40 bilhões. E, segundo publicação do próprio fundo, essa reserva já cobre mais de 99% de todos os clientes que possuem produtos que contam com a cobertura e garantia do FGC.

Ou seja, menos de 1% dos clientes está exposto ao risco acima de R$ 250.000,00, que é a cobertura máxima do Fundo Garantidor de Créditos para cada cliente. Isso garante uma exposição ao risco bastante segura e tranquila para o investidor.

Quando a mudança no FGC entra em vigor?

A decisão ainda deverá ser votada no dia 21/12/2017, pelo Conselho Monetário Nacional, para que a mudança seja concretizada e, então, escolhido um dia para ser colocada na prática. Estaremos de olho nas notícias para atualizar você sobre este assunto.

O FGC na prova da ANBIMA

O Edital da ANBIMA diz que são cobrados apenas conteúdos que estão vigentes no mercado a mais de 6 meses. Portanto, se você está lendo este artigo no final de 2017 e fará a prova no começo de 2018, não se preocupe. Nosso material cobre todo o conteúdo antigo sobre o FGC pra você estudar.

Por outro lado, no segundo semestre de 2018 já estaremos com os materiais de CPA 10, CPA 20 e CEA atualizados com as mudanças do Fundo Garantidor de Créditos.

Um recado do professor Tiago

No vídeo abaixo, o Tiago, professor aqui da Passar na CPA, fala sobre as mudanças no FGC e como isso atinge o FGCoop. Olha só:

O Conselho Monetário Nacional publicou, no dia 22/12/2017, a circular com detalhes da mudança. O Tiago comentou essa atualização pra você se inteirar no assunto:

Conta pra gente o que você achou destas mudanças aqui nos comentários!
Se quiser saber mais sobre esse assunto e outros que caem na prova da ANBIMA, entra no nosso site e conheça nossos cursos.

Ficaremos muito felizes em ajudar você!

0

Compartilhar este post:

Deixe o seu comentário!