O que é Política Monetária? Tudo o Que Você Precisa Saber

Quando falamos de Política Monetária, você sabe o que todas as certificações financeiras têm em comum?

Todas elas possuem um conteúdo em sua prova exclusivo para os Fundamentos da Economia”.

Podemos entender políticas econômicas como medidas adotas pelo governo para alcançar seus objetivos na economia.

Seja qual for a certificação que você deseje tirar, CPA 10, CPA 20, CEA, CGA ou AAI, saiba que ter o conhecimento sólido sobre os conceitos econômicos brasileiro será necessário.

Além disso, ter os conhecimentos econômicos te tornará um profissional preparado para as mudanças que o mercado financeiro brasileiro está passando.

Um dos instrumentos utilizados pelo governo para realizar a política econômica é a Política Monetária, que é o assunto deste artigo.

Você se sente preparado para responder qualquer questionamento no seu ambiente de trabalho sobre o assunto?

Sabe como as políticas monetárias impactam nos seus investimentos?

Quer saber como funciona a Política Econômica no Brasil? Quais são os seus objetivos? Como a política monetária contribui para chegar nos objetivos?

Esse artigo vai tirar todas as suas dúvidas e te deixar preparado para encontrar esse tema em suas provas e no dia a dia do seu trabalho.

Continue lendo para saber mais sobre

  • O que é Política Econômica
  • Política Monetária
  • Mecanismo da Política Monetária
  • Política Restritiva e Expansiva

 

 

O que é Política Econômica?

politica monetaria

Todas as movimentações que acontecem dentro da economia têm o potencial de afetar o desenvolvimento das pessoas e das empresas, de que maneira?

  • Pessoas

Nas oportunidades de trabalho existentes; no nível do salário que essas pessoas podem atingir realizando seus serviços; no nível de investimento possível do seu capital; no poder de compra que a sua moeda possui, etc.

  • Empresas

Quando a economia em uma determinada sociedade vai bem as empresas conseguem realizar mais vendas, aumentar a sua produção, gerar mais empregos para a sua sociedade, etc.

Portanto, uma economia saudável é essencial para garantir uma boa qualidade de vida para as pessoas e proporcionar o crescimento das empresas.

Mas, como podemos administrar a economia de uma sociedade?

Através da Política Econômica.

Administrada pelo governo, a política econômica são ações tomadas que tem a função de atingir 4 objetivos dentro da economia.

Vamos falar sobre eles?

 

Objetivos da Política Econômica

 

  • Garantir o crescimento do PIB

O Produto Interno Bruto (PIB) é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos por um país, estado ou cidade, em um determinado período.

Em outras palavras, podemos dizer que o PIB é a medida de riqueza de uma sociedade, pois quanto mais uma determinada nação consegue produzir, mais ela vai consumir e investir. 

O crescimento saudável do PIB é essencial para o desenvolvimento de uma nação, porque quando ele cresce nós podemos verificar:

  • Aumento de empregos;
  • Aumento de salários;
  • Aumento do volume de investimentos;
  • Entre outros.

Quando uma nação passa por alguma crise econômica podemos verificar que um dos indicadores da economia que mais oscila é o PIB. 

Confira no gráfico a seguir:

pib

Nos anos de 2009 (crise subprime) e 2014/2015 (crise interna brasileira) o PIB demonstrou um movimento negativo muito forte impactando diretamente a qualidade de vida dos brasileiros.

 

 

  • Controlar a Inflação

É muito comum ouvir alguém dizer, Quando eu era jovem conseguia comprar muitas coisas no mercado com apenas R$5,00, hoje em dia não dá para comprar nada”.

E isso é um dos exemplos mais práticos do que é a inflação.

Podemos defini-la como o aumento generalizado do nível de preços de determinados ativos dentro de uma economia. 

O controle da inflação é importante, pois, podemos dizer que assim como uma febre antecede uma possível doença, uma inflação descontrolada antecede um desequilíbrio monetário e possíveis complicações econômicas

Vamos voltar para o gráfico:

inflacao

Olhando novamente para a crise interna que o Brasil passou no ano de 2014/2015 podemos constatar que tivemos um aumento da inflação. 

 

 

  • Equilíbrio nas Contas Externas

É muito importante o registro do total de dinheiro que entra e sai de um país na forma de importação e exportação, pois isso demonstra o resultado da nossa relação financeira com o resto do mundo.

Deve existir o equilíbrio entre Déficit Externo (sair mais dinheiro estrangeiro do que entrar) e Superávit constantes (entrar mais dinheiro estrangeiro do que sair).

 

 

  • Promover a distribuição de Renda

Todo a riqueza que foi socialmente produzida deve possuir uma política que garanta a distribuição igualitária entre os indivíduos de uma sociedade, como a política do salário mínimo.

Agora que nós já sabemos os 4 objetivos da política econômica, eu te pergunto:

Como o governo consegue chegar nesses objetivos?

A resposta é, através dos 4 Instrumentos da Política Econômica, que são: 

  • Política Monetária;
  • Política Fiscal;
  • Política Cambial;
  • Política de Rendas.

politica economica

Continue lendo, pois neste artigo você vai entender tudo sobre a Política Monetária.

 

 

Política Monetária

monetaria

Você provavelmente já deve ter ligado o jornal de manhã e escutado a notícia “O Banco Central reduziu a selic na sua última reunião” ou “A inflação brasileira está abaixo da meta estipulada para esse ano”.

Pois bem, essas são algumas das maneiras que o governo consegue realizar um dos instrumentos da política econômica. A Política Monetária.

 

O que é Política Monetária?

Posso dizer que a Política Monetária é a que mais afeta a vida das pessoas, pois ela impacta diretamente nas suas decisões de investimentos, no nível de inflação do seu país, na administração de suas finanças pessoais e outras decisões importantes

Sendo assim, podemos dizer que o principal objetivo da política monetária é ter um conjunto de medidas que consiga controlar a liquidez (quantidade de dinheiro) na economia para promover o crescimento econômico com as menores taxas de desemprego e inflação possíveis.

Vou dar um exemplo pra ficar mais claro:

Todo mundo, pelo menos uma vez na vida, já teve o seguinte pensamento “Por que o governo não imprime R$ 1.000.000,00 e distribui para a população? Assim todo mundo ficaria rico e fim dos problemas”.

Vamos imaginar o seguinte cenário, um dono de padaria chamado Joaquim acorda e percebe que todo mundo ganhou R$ 1.000.000,00 na conta corrente.

O primeiro pensamento que passa na cabeça do Joaquim é “eu fecho a padaria ou continuo produzindo?”. Esse pensamento faz sentido já que agora ele possui bastante dinheiro e não precisa mais trabalhar.

Mas, vamos supor que ele decida continuar suas operações com a padaria.

Chegando no seu serviço ele percebeu que todos os seus funcionários faltaram, já que todos tinham bastante dinheiro e só aceitariam trabalhar novamente na padaria caso o preço do salário deles aumentasse proporcionalmente ao valor que eles tinham recebido do governo.

Bom, o senhor Joaquim precisa dos funcionários para continuar a produção, logo deverá aumentar o salário deles. 

Mas isso vai acontecer com toda a cadeia produtiva do país, ou seja, todas as empresas vão passar pela mesma situação.

Para compensar esse aumento na cadeia produtiva, todos os produtos que vão para o consumidor final também vão ficar proporcionalmente mais caros.

Então, aquele R$ 1.000.000,00 que todo mundo recebeu, depois de um tempo não vale mais nada dentro da sociedade.

Em outras palavras, se existe uma injeção muito grande de dinheiro (liquidez) na economia, o que será gerado é a inflação, ou seja, a desvalorização da moeda.

A política monetária será responsável por conseguir controlar todo esse aumento de liquidez na economia sempre tentando controlar os níveis de inflação.

 

Quem exerce a política monetária?

Como vimos, caso ocorra o aumento de liquidez no mercado sem que ocorra o aumento de produção, nós consequentemente teremos inflação.

Com a intenção de conseguir controlar os limites da inflação o CMN (Conselho Monetário Nacional), que é o órgão máximo do nosso sistema financeiro, estipula a meta da inflação.

Portanto, vamos dizer que o CMN estipulou uma meta de inflação de 4% a.a. com o teto de 1,25% e o piso de 1,25%

meta inflação

O CMN irá estipular o teto (4%+1,25% = 5,25%), e o piso (4%-1,25%= 2,75%), e o Banco Central será o responsável por controlar a inflação nesses limites estabelecidos pelo CMN.

E a forma como o BC consegue manter a inflação nesse intervalo é através dos mecanismos das políticas monetárias.

Portanto, grave isso. O CMN estipula os limites de inflação e o BC cumpre esses limites através das políticas monetárias, controlando a liquidez do mercado.

 

Agregados Monetários

Mas, antes de entender como o BC administra as medidas para a execução de uma política monetária, aqui vai uma pergunta:

Você sabia que existe uma maneira em que o governo consegue visualizar a quantidade de moeda circulando dentro da economia?

Estou falando dos agregados monetários.

Todos os ativos financeiros existentes em uma economia são representados e classificados através dos agregados monetários M0, M1, M2, M3, M4.

 

 

  • Base monetária – M0 

m0

Também conhecido como M0 (eme zero) é todo o papel moeda que o governo emitiu que está dentro da economia em poder do público somado às reservas dos bancos comerciais.

 

  • M1

m1

Toda moeda em poder do público (papel moeda) + depósito à vista nos bancos comerciais, ou seja, aquele dinheiro que está no seu bolso e parado na conta corrente do seu banco. 

 

 

 

  • M2 

m2

M1 + depósitos especiais remunerados + depósitos em poupança + títulos emitidos por instituições financeiras, como depósito, letra de câmbio, letras imobiliárias e letras hipotecárias. 

 

 

  • M3

m3

M2 + cotas de fundos de renda fixa + operações compromissadas com lastro em títulos públicos federais.

 

 

  • M4

m4

M3 + títulos públicos emitidos pelos governos federal, estadual e municipal.

 

 

 

Mecanismos da Política Monetária

política monetária

Agora que nós sabemos o que é política monetária e como o governo consegue monitorar a quantidade de liquidez existente na economia, vamos falar sobre os mecanismos utilizados pelo Banco Central para controlar a moeda, juros e inflação no Brasil.

Esses mecanismos são: 

  • Taxa de juros (selic);
  • Depósito compulsório; 
  • Redesconto;
  • Open market.

 

Taxa de juros selic 

Só de ler o título eu aposto que você falou, essa eu conheço!. Isso porque a taxa selic é com certeza um dos mecanismos mais conhecidos no dia a dia do brasileiro. 

Todo mundo já escutou falar pelo menos uma vez sobre ela no rádio, tv ou internet.

Mas sempre vale a pena reforçar um conhecimento, não é mesmo?

A Selic é a taxa básica de juros da nossa economia. É um dos mecanismos de política monetária utilizado pelo Banco Central para o controle da inflação.

Movimentações na taxa selic influencia diretamente todas as taxas de juros do país, como as taxas de juros dos empréstimos, financiamentos e das aplicações financeiras.

Dentro do Banco Central existe uma equipe cuja principal função é se reunir a cada 45 dias para decidir o valor da Selic. O nome dessa equipe é COPOM (Comitê de Política Monetária).

Como a selic controla a inflação?

Vamos imaginar a seguinte situação:

Você decide pegar um empréstimo para comprar um carro novo, porém, vê uma notícia na tv que a taxa selic irá aumentar, o que isso quer dizer?

Aquele empréstimo que você ia pegar para comprar o carro vai ficar mais caro, pois a taxa de juros que será utilizada para ajustar o valor das parcelas do seu empréstimo é diretamente ligada a Selic. 

Muito provavelmente ao invés de comprar o carro e gerar um consumo na economia, você irá guardar esse dinheiro em alguma aplicação financeira já que os juros mais altos significam retornos maiores nos seus investimentos.

E essa é a mágica da Selic!

Quando existe o aumento de juros, a tomada de crédito pelos consumidores é reduzida, com isso, os produtores são obrigados a reduzir o preço dos seus produtos para estimular as vendas e com essa diminuição a inflação tende a recuar.

No caso de um aumento na selic, a movimentação na inflação ficará:

redução selic

Mas nem só de redução nos juros se vive a economia. Vamos pensar que o consumo também é importante para termos um aumento na produção e, consequentemente um aumento no nosso PIB.

Logo, se o BC quiser estimular o consumo com a intenção de aumentar o nosso produto interno bruto (PIB), ele pode realizar a diminuição da selic.

No caso de uma redução na selic, a movimentação na inflação ficará:

aumento selic

Você deve estar se perguntando, “mas se o Banco Central reduzir a selic com a intenção de estimular o consumo, isso fará com que a inflação aumente?

Exatamente!

Logo, podemos dizer que o objetivo do Banco Central é conseguir encontrar o equilíbrio perfeito de taxa de juros que consiga tanto controlar a inflação quanto o estimular o aumento do nosso PIB. 

 

Depósito Compulsório

Imagine que você vai no seu banco e deposite na sua conta o valor de R$ 1.000,00.

compulsório

Com esse dinheiro disponível no banco outra pessoa pode pegar um empréstimo no mesmo valor de R$ 1.000,00

multiplicador de moeda

Porém, note uma coisa: O banco não retirou o dinheiro da sua conta para realizar o empréstimo para uma outra pessoa, mas tanto você quanto a pessoa que pegou o empréstimo possuem saldo.

O que estou querendo dizer é que o banco tem a grande habilidade de criar dinheiro do “nada”. Isso se chama efeito multiplicador de moeda.

Cada vez que você deposita um valor no banco, ele pode emprestar esse valor para uma outra pessoa que agora também possui um saldo igual ao seu. Após isso, esse dinheiro é utilizado na economia e acaba voltando pro banco e o ciclo do efeito multiplicador da moeda se repete

Essa multiplicação de moeda pode gerar um excesso de liquidez na economia e consequentemente um aumento nos níveis da inflação.

Com a intenção de controlar esse efeito multiplicador de moeda o Banco Central executa o Depósito Compulsório.

Toda instituição financeira deve recolher junto ao BC um percentual do valor que é depositado naquela instituição.

Utilizando novamente o exemplo anterior, vamos estipular um depósito compulsório no valor simbólico de 50% apenas para fins didáticos. Ficaria da seguinte maneira:

deposito

No exemplo, o banco só possui 50% do valor para pode emprestar para outra pessoa. A outra parte é recolhida e fica na posse do Banco Central.

Conforme a instituição for emprestando dinheiro para outros clientes, o depósito compulsório irá reduzir o valor disponível para novos empréstimos, fazendo com que o efeito multiplicador de moeda fique controlado.

Além de controlar o excesso de liquidez na economia, o Depósito Compulsório também traz segurança para o sistema financeiro, vou explicar.

Imagine que o país passe por uma crise e todos os clientes de um determinado banco decidem tirar o dinheiro da instituição por medo de um futuro incerto. 

Essa movimentação seria impossível uma vez que a quantidade de papel moeda não seria o suficiente para suprir a demanda de todas as pessoas. 

Isso por que a quantidade de dinheiro digital (que você vê no app do seu banco) é muito maior do que a quantidade de dinheiro físico existente na instituição.

O depósito compulsório tem a função de controlar essa oferta monetária da instituição.

Portanto, podemos dizer que o depósito compulsório será responsável por trazer segurança para o mercado financeiro e o controle da liquidez na economia.

movimentação compulsório

 

Redesconto

Você acha que só você precisa daquele empréstimo para realizar os seus objetivos?

Os bancos também, e caso exista essa necessidade ele vai chamar o BC para conceder uma linha de crédito para eles

Portanto, podemos dizer que o Redesconto é o empréstimo de última instância realizado pelo Banco Central às instituições financeiras.

No fechamento de suas operações, os bancos podem apresentar um descasamento em seu fluxo de caixa, isso pode ocorrer por vários motivos. Para conseguir fechar o caixa no positivo essas instituições podem recorrer a duas opções:

  • Crédito de outras instituições financeiras

Ela vai no mercado interbancário e pega um empréstimo com um outro banco, inclusive com base na média das operações realizadas dentro desse mercado e que terá como lastro (garantia) títulos públicos federais, será estipulado a Selic Over.

  • Crédito do Banco Central

Caso não seja possível conseguir crédito de outro banco, será necessário recorrer ao BC. A remuneração dessa linha de crédito oferecida para a instituição fechar o seu fluxo de caixa receberá o nome de redesconto

O que temos que entender é que em situações normais da economia, ou seja, quando não existe nenhuma crise ou problemas econômicos, a taxa de redesconto tende a ser uma taxa maior do que as taxas disponíveis no mercado interbancário. 

Com essa taxa maior, o BC central quer demonstrar que as instituições devem ter saúde financeira suficiente para se financiar apenas no mercado interbancário.

Mas caso exista a necessidade de recorrer a essa linha de crédito do BC, a instituição irá pagar uma taxa maior do que a do mercado, e essa taxa é o redesconto

Você pode se perguntar, Como o redesconto pode influenciar na política monetária?”.

Simples!

Se o BC aumentar a taxa de redesconto, ficará mais caro para a instituição tomar esse crédito emergencial, logo, menor será a liquidez no mercado.

redesconto

Mas, se o BC diminuir a taxa de redesconto, ficará mais barato para a instituição tomar esse crédito emergencial, logo, maior será a liquidez no mercado.

redução redesconto

 

Open Market

Se traduzido ao pé da letra, open market significa “Mercado Aberto”, mas vamos entender o conceito por detrás dessa palavra. 

Open Market é a compra e venda de títulos públicos realizadas pelo Banco Central junto aos dealers (instituições financeiras autorizadas a negociar títulos públicos direto com o BC).

Vou utilizar um exemplo para ficar mais claro:

Imagine que você pegou o seu dinheiro para comprar um celular. Você vai até a loja e encontra um que te agradou e decide comprar.

Com isso você entrega o seu dinheiro para o vendedor e ele te entrega o celular

Faz sentido que a partir desse momento você tem menos dinheiro no bolso, mas agora você tem um produto. 

Se você tem menos dinheiro no bolso você tem um poder de consumo menor, certo?

Agora vamos pensar nesse conceito dentro de uma instituição financeira.

Quando um banco compra um título público ele terá menos dinheiro disponível para emprestar e com isso a liquidez será menor.

E como o Banco Central entra nessa história?

Bom, nós sabemos que o BC é responsável por controlar a liquidez no mercado, portanto, quando ele quer:

 

  • Diminuir a Liquidez

open market

 

  • Aumentar a Liquidez

mercado aberto

 

Política Restritiva e Expansionista

Política Restritiva e Expansionista

Essa é uma das maiores dúvidas que recebo sobre política monetária:

Quando a política tem a intenção de aumentar a liquidez no mercado ou quando ela tem a intenção de diminuir a liquidez no mercado?

Vamos ao exemplo:

Quando você decide realizar uma dieta restritiva, ou seja, quando você está comendo menos a ideia é conseguir perder peso.

Quando a gente pensa em política monetária podemos dizer que uma Política Restritiva é ter menos liquidez no mercado.

Agora, vamos supor que você está passando por uma dieta expansionista, ou seja, você vai comer mais para conseguir ganhar peso.

Quando a gente pensa em política monetária podemos dizer que uma Política Expansionista é ter mais liquidez no mercado.

Em uma Política Restritiva nós iremos encontrar as movimentações nos mecanismos da política monetária da seguinte maneira:

restritiva

Em uma Política Expansionista nós iremos encontrar as movimentações nos mecanismos da política monetária da seguinte maneira:

Expansionista

 

Conclusão

Ufa … 

Nós tivemos uma caminha bem grande até o fim deste artigo, não é mesmo?

Como vimos, a Política Econômica é ações tomadas pelo governo com a intenção de alcançar os objetivos de Aumento do PIB, Controle da Inflação, Equilíbrio das Contas Externas e prover a distribuição de Renda na sociedade.

Dentro da Política Economia nós temos um instrumento que é utilizado para controlar a liquidez do mercado e consequentemente a inflação, essa é a Política Monetária.

Se você está se preparando para uma prova de certificação financeira, possivelmente esse assunto aparecerá na sua frente.

Se você chegou até aqui, estará totalmente preparado para responder qualquer questão sobre Política Monetária!

Espero que essa leitura tenha te ajudado de alguma forma.

Mas não vamos parar por aqui.

Gostaria de tirar dúvidas ou deixar dicas e sugestões?

Então poste nos comentários abaixo, será um prazer falar com você.

 

0 0 vote
Article Rating
0
Tiago Feitosa

Tiago Feitosa

Graduado em Matemática, pós graduado em negócios bancários pela FAAP e pós graduando em Escola Austríaca de Economia. Possui certificação CEA e AAI. Se dedica a ajudar cada vez mais pessoas a se capacitarem profissionalmente.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook

Deixe um Comentário:

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Você também pode se interessar por: