Valuation — O Que É e Como Calculá-lo Por Diferentes Bases

Se você é uma pessoa antenada em finanças e investimentos, já deve ter percebido que o termo valuation é bastante comum, né? Mas você entende realmente o que ele quer dizer e como aplicá-lo? Vou confessar uma coisa: esse é um dos termos mais importantes do mercado. Então, vale a pena saber o que significa para poder investir bem e indicar os melhores ativos aos clientes. Bora lá!

Afinal, o que é valuation?

O valuation (avaliação, em português) é o processo de analisar o valor de algo, a partir de algumas projeções. A partir disso e do preço atual do ativo, é possível definir se um investimento é interessante ou não. Caso o valuation não seja positivo e o custo seja elevado, por exemplo, a recomendação não será de compra. Entende? Por outro lado, se a empresa tiver projeções de crescer no médio prazo e estiver sendo negociada a um custo baixo, então, o retorno poderá ser maior. Como se vê, saber o preço justo das ações é grande segredo para investir bem, né? O mais interessante é que existem diferentes formas de fazer esse cálculo. Então, não tem desculpa para esquecer essa informação!

Quais métodos de fazer valuation existem?

Existem diversas formas de fazer o valuation de um negócio. Por isso, vale a pena conhecer os mais populares. Veja só!

Fluxo de Caixa Descontado

O Fluxo de Caixa Descontado é um método que considera os investimentos em ativos operacionais, o custo de capital e os riscos de empreendimento. Como é algo que avalia resultados históricos, não é confiável para startups que ainda tem pouco tempo de mercado. Para fazer o FCD é necessário:
  • calcular o fluxo de caixa (entrada de saída de dinheiro) de pelo menos cinco anos;
  • definir uma taxa de desconto de acordo com custo de oportunidade, o que é feito com base nos números do mercado;
  • calcular o valor presente dos fluxos;
  • calcular um valor residual, ou seja, uma estimativa do que seria gerado no futuro.

Múltiplos do mercado

Para quem já investe há algum tempo em renda variável deve ter ouvido a expressão “comparado aos múltiplos do mercado”, certo? A expressão se refere a algo que fazemos bastante quando vamos comprar algo: analisar os preços. Imagine que você queira comprar um sapato novo, você compra o primeiro que vê ou compara o preço entre as lojas? No segmento financeiro, essa também é uma das maneiras de fazer o valuation. Mas, atenção:
  • a comparação deve ser entre ativos iguais,
  • as empresas precisam ser semelhantes. No setor elétrico, por exemplo, há as companhias que distribuem e que geram energia. Então, o ideal é avaliar as distribuidoras e as geradoras separadamente.
Estas são as formas de analisar os múltiplos do mercado:
  • lucro: preço da ação dividido pelo lucro por ação;
  • valor patrimonial: valor de mercado dividido pelo patrimônio líquido da organização;
  • receita: resultados desconsiderando as regras contábeis;
  • setores: aquele exemplo de energia. Beleza?

Valor patrimonial

Nessa metodologia, você pode considerar o patrimônio líquido. Ou seja, é necessário somar todos os ativos (incluindo móveis, máquinas e estoque), depois subtrair dívidas, despesas e tributos.

Qual valuation escolher?

Cada forma de fazer o valuation de uma empresa tem vantagens e desvantagens. No Fluxo de Caixa Descontado é possível observar os riscos e capacidade de geração de caixa no longo prazo. Porém, pode utilizar variáveis subjetivas. Em geral, é usado para avaliar empresas mais maduras. Nos múltiplos de mercado, é possível observar os concorrentes e as expectativas para determinado grupo de ativos. No entanto, a análise não considera as diferenças de perfil e particularidades das empresas. Ao avaliar o valor patrimonial, é possível obter todo o valor gerado pela empresa até aquele momento. Mas isso não considera o futuro e a continuidade do negócio. É uma análise útil para setores mais estagnados e sem perspectiva no médio prazo. Quer saber mais sobre o mercado financeiro? Então, continue de olho no que a T2 Educação tem para você e conheça os cursos para atuar nesse segmento!
Tiago Feitosa
Tiago Feitosa

Graduado em Matemática e pós graduado em negócios bancários pela FAAP. Possui as certificações CPA10, CPA20, CEA e AAI, além disso é Consultor de Valores Mobiliários credenciado na CVM. Se dedica a ajudar cada vez mais pessoas a se capacitarem profissionalmente.

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
guest
0 Comentários

Você também pode se interessar por

COMPARTILHE!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram