Como a Taxa Selic Funciona — Tudo o Que Você Precisa Saber

Se você estuda o mercado financeiro, com certeza já ouviu falar dela, mas será que sabe realmente como a Taxa Selic funciona? É muito importante entendê-la, porque está relacionada diretamente a diversos detalhes do mercado e impacta a economia do país todo!

A taxa selic pode mexer com a sua vida financeira muito mais do que você pensa, nobre gafanhoto, e afetar até mesmo o preço do café com leite e do pão com manteiga na padaria.

Por isso, você precisa saber no que ela influencia e as consequências das variações dela. Neste artigo, vou te explicar sobre isso. Confira!

Como a Taxa Selic funciona?

Mesmo se você já manja de todos os paranauês desse importante termo do mercado financeiro, é importante relembrar e ficar sempre atento em como a Taxa Selic funciona, afinal esse é um assunto recorrente nas certificações ANBIMA, da ANCORD e em todo o setor, certo?

Bem, vamos do começo…

Quem decide tudo sobre a Taxa Selic é o COPOM (Comitê de Política Monetária). São eles que definem o valor dela em oito reuniões realizadas durante o ano todo.

Depois de cada reunião, eles liberam um parecer indicando qual será a taxa para os próximos 45 dias.

A decisão de mudar (ou alterar a taxa) não pela boa (ou má) vontade deste comitê, mas com o objetivo de controlar a inflação. Se a inflação está muito alta, para ser mais preciso, acima da meta estabelecidada pelo Conselho Monetário Nacional, o COPOM tende a aumentar a taxa Selic.

Se ele assim fizer, tecnicamente, podemos dizer que o custo do dinheiro está mais caro e, com isso, menos agentes do mercado estarão dispostos a se endividar e, o resultado disso é: menos dinheiro na economia.

Com menos dinheiro na economia, menos consumo e, consequentemente, menos inflação. Sacou?

Agora pense o contrário: se a inflação está muito baixa, ou seja, abaixo da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional, a lógica é contrária, ou seja, o COPOM baixa a taxa de juros para que, com isso, tenha mais dinheiro na economia.

Com mais dinheiro, mais consumo e investimentos e a consequência final é: mais emprego e renda.

Vale apontar também que estamos falando aqui da Taxa Selic meta, ok? Aquela que você ouve no jornal. Existe, além dela, a Taxa Selic over, que está ligada aos empréstimos feitos de um banco para outro usando títulos públicos como garantia.

Estes empréstimos são registados no Sistema Especial de LIquidação e Custódia. Se você está atento aos detalhes, notou que as iniciais deste sistema é SELIC. Aqui a gente descobre porque o nome desta taxa é SELIC. Porque é reflete a media ponderada dos títulos que são negociados neste sistema. Por essa você não esperava, não é mesmo?

Influências da Taxa Selic na economia

Quando o assunto são os investimentos, podemos dizer que todos os produtos de investimentos são afetados por essa taxa.

  • Todos os títulos públicos. Isso porque, a negociação destes títulos, até dos pré fixados, terão taxas próximas à SELIC. Não da pra esperar que a Selic esteja em 6% e um tesouro pré fixado esteja em 15%, né?
  • poupança — duas situações aqui: quando a taxa está menor do que 8,5%, as cadernetas rendem o equivalente a 70% dela, e se ela está maior do que os 8,5%, o rendimento será de 0,5% ao mês, com adição da taxa referencial;
  • títulos privados pós-fixados — CDI, CDB, LCI, LCA e LC também têm seu rendimento alterado de acordo com a Selic, praticamente da mesma maneira que ocorre com o tesouro Selic;
  • o mercado de ações: Aqui a gente precisa destacar que não há uma relação direta da Selic com as ações negociadas na bolsa, mas quanto menor for a taxa Selic menor o rendimento dos produtos de renda fixa e, com isso, os investidores começam a buscar a bolsa de valores como opção de investimento e, nesse caso, as ações tendem a valorizar-se.

Vale o destaque que, se a taxa de juros está menor, os investimentos das empresas no setor produtivo ganham viabilidade e, assim, as empresas valorizam

Em resumo: se tem uma coisa que afeta sua vida, mesmo que você nem se dê conta, essa coisa é a Selic. Depois desse post, creio que você está manjando dos paranuaês tudo, certo?

Quer saber mais sobre o mercado financeiro? Confira o blog da T2 Educação!

0

Compartilhar este post:

Deixe o seu comentário!