Economia Brasileira — Entenda Como Ela Funciona E Quem Está Envolvido Nela

A economia brasileira está diretamente ligada à equipe montada pelo presidente ou presidenta do país. Entretanto, muitas pessoas não fazem essa conexão na hora de escolher o candidato ideal para chefiar o executivo do Brasil.

Continue lendo para entender como funciona e quem são os envolvidos nisso!

Quem são os responsáveis pela economia brasileira?

Uma vez que a população escolheu alguém para ocupar a presidência, essa pessoa irá começar a selecionar outros profissionais para formar parte do seu governo. Afinal, ele não é capaz de cuidar de todos os aspectos que envolvem o país sozinho, certo?

Então, vamos lá! As escolhas dele são:

  • Ministro da Economia: escolhido e nomeado pelo Presidente da República;
  • Presidente do Banco Central do Brasil (Bacen): apesar de nomeado, precisa passar por aprovação do Senado;
  • Secretário Especial da Fazenda do Ministério da Economia: escolhido pelo presidente junto ao ministro.

Essas três pessoas, juntas, formam o Conselho Monetário Nacional. Eles são a maior autoridade da economia brasileira, representando as maiores decisões que saem de Brasília. Ou seja, é essencial fazer uma boa escolha para a presidência, pois ele irá definir quem são os que cuidarão dos aspectos econômicos do país.

O que faz o Conselho Monetário Nacional?

O principal objetivo do Conselho Monetário Nacional é promover estabilidade econômica e o crescimento não apenas da economia, mas também da sociedade.

E como nós, cidadãos, sabemos que esses objetivos estão sendo atingidos? Bom, em primeiro lugar, é preciso prestar atenção no Produto Interno Bruto (PIB). Lembrando que esse indicador diz respeito à criação de riqueza, e não o total de riquezas que o país possui.

Como calcular o PIB?

Periodicamente, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) lança os dados, utilizando a seguinte fórmula:

PIB = C + I + G + NX

Em que C = consumo das famílias, I = investimento das empresas, G = gastos do governo, NX = saldo da balança comercial (exportações menos importações).

Como fazer o PIB crescer para melhorar a economia brasileira?

Você deve estar pensando: “Tiago, já que o PIB funciona assim, isso significa que se aumentar o consumo haverá crescimento, né?”. Calma, não é bem assim.

Aumentando o consumo, será preciso imprimir mais dinheiro, pois haverá maior circulação. Além disso, o crescimento apenas por esse aspecto quer dizer que mais pessoas querem comprar a mesma quantidade de produtos produzidos.

E sabe qual é o resultado de mais dinheiro em circulação e menor disponibilidade de itens? Inflação. O preço vai começar a subir devido à alta demanda.

Funciona da seguinte forma: suponha que você tem uma loja de roupas e perceba que seus clientes estão comprando tudo. Então, você pede ao fabricante para fornecer mais peças.

Entretanto, ele vai te dizer que não consegue porque não tem capacidade produtiva para isso. Ele precisaria de mais máquinas e funcionários. Então, para controlar, você ou o fabricante teriam que aumentar o preço.

“Mas Tiago, e se a gente tentar o crescimento pelo investimento?”. Bom, se houver mais investimento, as empresas vão poder vender mais, vão gerar mais empregos, maior produção e etc. Isso é ótimo, né?

Então… Se o crescimento de investimentos das empresas acontece apenas por estímulos do governo, sem haver uma real demanda para isso, o que acontece é o desperdício de capital.

Por exemplo: em 2008, quando houve a crise financeira nos Estados Unidos, houve muito incentivo governamental para o setor imobiliário. Isso criou uma bolha e, depois, muitas empresas e famílias quebraram.

“E se testarmos aumentar os gastos do governo com empregos, obras públicas e etc?” Vamos lá… Todos os custos entram nessa conta, o que significa aumento de alguns gastos ineficientes.

É preciso considerar que o governo não gera recursos, mas, sim, arrecada por meio de impostos e dívidas — e há um limite do quanto é possível obter, além do sistema tributário prejudicar os mais pobres.

“Beleza, então vamos mexer na balança comercial, estimular a exportação e diminuir a importação”. Bom… Imagine que um produtor de carnes exporte tudo. Sim, vai entrar muitos dólares, mas quando você quiser comprar algo para o seu churrasco, não vai encontrar — e, se encontrar, vai estar muito caro. Ou seja, inflação.

Então, o que fazer para o PIB crescer?

O Conselho Monetário, sabendo disso, deve estabelecer uma meta de inflação. O mercado e o Banco Central são informados do máximo de taxa que o país pode registrar no ano.

Assim, serão lançadas políticas monetárias com o objetivo de controlar a quantidade de dinheiro em circulação na economia. Com isso, é possível incentivar o consumo e o investimento, juntos, para então, aumentar arrecadação, gastos e, consequentemente, melhorar o PIB.

Outra técnica é a de políticas fiscais. Elas descrevem como o governo deve arrecadar dinheiro e, então, gastá-lo com a sociedade.

E, mais uma forma, é a de políticas cambiais. Essa é a maneira como o Banco Central lida com a relação entre o Real e outras moedas. E isso interfere diretamente na balança comercial.

Gostou de saber como funciona a economia brasileira? Continue lendo blog da T2 Educação para aprender mais sobre finanças!

0 0 vote
Article Rating
0
Tiago Feitosa

Tiago Feitosa

Graduado em Matemática, pós graduado em negócios bancários pela FAAP e pós graduando em Escola Austríaca de Economia. Possui certificação CEA e AAI. Se dedica a ajudar cada vez mais pessoas a se capacitarem profissionalmente.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook

Deixe um Comentário:

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Você também pode se interessar por: