Aprenda a falar sobre dinheiro com crianças

Falar sobre dinheiro com crianças pode ser uma dificuldade para muita gente.

Se você tem filhos ou alguma criança próxima da família, sabe do que tô falando. É complicado ter que dizer não para o boneco do Capitão América que custa 500 reais, ou pra fantasia da Frozen que a criança vai usar uma vez na vida.

Por isso, a ANBIMA, através do blog Como Investir, resolveu dar cinco dicas para te ajudar a falar sobre dinheiro com as crianças. E nós trouxemos estas dicas aqui pro blog da escola.

Vamos começar?

Dica #1 – Seja o primeiro exemplo da criança

Essa dica serve pra tudo na vida. Afinal, as crianças são como esponjas, e absorvem tudo a sua volta. Ou como papagaios que repetem tudo que escutam.

Você entendeu.

O fato é que com o dinheiro não é diferente. Mesmo as crianças pequeninas conseguem entender a troca de dinheiro por um chocolate, por exemplo. Mesmo que elas não saibam como funciona o sistema, os hábitos das pessoas em volta dela são facilmente compreendidos.

Portanto, se você compra uma barra de chocolate do mesmo jeito que paga 700 reais num tênis, preste atenção se a criança tá te observando. Ela precisa saber que para comprar o tênis, ou o brinquedo caro, é preciso economizar e esperar ter o dinheiro.

A pior coisa é ser um exemplo de alguém que gasta sem pensar.

Dica #2 – O aprendizado vem do dia a dia

Sabe quando a gente passeava no shopping com nossos pais e queria pegar a primeira boneca que via pela frente? E aí vinha a resposta: “Vamos passear mais um pouco, vai que tá mais barato em outra loja.”?

Isso é o primeiro aprendizado que nós temos sobre o preço das coisas.

Você pode fazer isso com seu filho, sobrinha ou irmãozinho. Tente explicar porque um boneco custa 50 reais e o outro, R$ 15. Explique sobre o valor daquilo, a marca, a qualidade do brinquedo. Essas pequenas coisas vão educá-las sobre a importância de gastar do jeito certo. Não adianta comprar porque você quer ou deseja, mas sim porque você precisa.

E, assim, será cada vez mais fácil falar sobre dinheiro com crianças quando elas crescerem.

Dica #3 – Dê um cofrinho para a criança

Eu já tive um cofrinho. Ele era um robô de porcelana, não um porquinho.

Com as moedas que juntei nele, eu consegui comprar (adivinha só?) um livro. Devia ser a única criança do bairro a juntar dinheiro pra comprar um livro, mas tudo bem. Vamos voltar ao assunto principal.

Ao dar um cofrinho para a criança, você está ensinando MUITA coisa. Quer ver só? 

O cofrinho ensina a separar as moedas, a entender o valor de cada uma delas. Ensina a economizar para comprar algo mais caro. Ensina a poupar para ter dinheiro no futuro. A valorizar cada moeda e troco. Ensina a planejar com o dinheiro que ela ganha.

Crianças um pouco maiores, de uns 4 ou 5 anos, já entendem esses conceitos. E você estará fazendo um bem danado pra elas ao ensinar a usar o cofrinho da maneira certa.

Dica #4 – É hora da mesada

Pronto, a criança aprendeu a usar o cofrinho. Agora é hora da próxima etapa ao falar sobre dinheiro com crianças: a mesada.

Eu particularmente acho esse nome bizarro. Sempre imaginei uma mesa caindo em cima de mim, mas eu sorrindo porque tinha ganhado os 15 reais mensais pras minhas revistas em quadrinhos.

A mesada é importante para ensinar o controle de gastos. O autocontrole com o dinheiro é algo que, se ensinado desde cedo, pode ajudar a formar um adulto bem educado financeiramente. É um amadurecimento emocional e financeiro muito bem-vindo.

Se você tem dúvida da quantia que deve dar ao mês, pense no que ela poderia gastar no final. Uma boneca custa 40 reais? Talvez uma mesada de 20 reais seja boa para a criança aprender a guardar o dinheiro durante dois meses. Seu sobrinho gasta 10 com uma revistinha? Dê uma mesada de 15 reais e mostre que, se ele esperar 2 meses, poderá comprar três revistinhas ao mesmo tempo.

É importante falar uma coisa aqui. De nada adianta a criança seguir as regras da mesada se você não cumpri-las também. Não vale amolecer o coração e dar mais dinheiro para a criança se a mesada dela acabar antes do dia do “pagamento”.

Dica #5 – Ajude com o planejamento

A última dica acaba se juntando à primeira. Porque, na hora de planejar, você também precisa ser o exemplo.

Sente com a criança e converse sobre o quanto ela precisará guardar para comprar as coisas que deseja. Faça paralelos com os seus próprios gastos, para que o ato de pensar no futuro seja levado a sério.

O mais importante aqui é mostrar que alcançar um objetivo só é possível com um bom planejamento. De novo, seja um bom exemplo e conte para a criança um caso próprio de algo que você precisou juntar dinheiro para comprar.

Com isso em mente, a criança saberá que os desafios financeiros podem ser sempre superados.


Falar sobre dinheiro com crianças é algo que precisa ser cada vez mais comum.

Aqui na escola nós acreditamos que este assunto deva ser levado até mesmo para as salas de aula. A educação financeira nas escolas ajudaria a formar adultos responsáveis.

Mas como não temos isso, cabe a nós, adultos, ajudar e educar as nossas crianças.

Afinal, elas são o futuro. 

0

Compartilhar este post:

Deixe o seu comentário!